Production
https://prod.org.br/doi/10.1590/S0103-65132006000300006?lang=en
Production
Article

Estrutura da cadeia reversa: "caminhos" e "descaminhos" da embalagem PET

Structure of the reverse chain: "ways" of PET packing

Gonçalves-Dias, Sylmara Lopes F.; Teodósio, Armindo dos Santos de S.

Downloads: 0
Views: 14

Resumo

O trabalho propõe-se a discutir as possibilidades, limites e desafios da reciclagem de PET – Politereftalato de Etileno. Como fundamentação teórico-conceitual, recorre à discussão sobre a natureza e o alcance da logística reversa, analisando as estratégias para estruturação da cadeia de reciclagem. A pesquisa é de caráter exploratório, com adoção de diferentes estratégias para a coleta de dados, envolvendo fontes secundárias produzidas por órgãos públicos, instituições especializadas e mídia, e ainda entrevistas semi-estruturadas com especialistas na área. Os resultados apontam que múltiplos atores estão envolvidos na estrutura da cadeia reversa do PET e que, apesar do avanço no volume de reciclagem, nenhum dos setores, seja público ou privado, consegue individualmente organizar-se para o alcance da efetividade operacional e ambiental desejável no cenário brasileiro. O alcance de bons resultados depende, sobretudo, do investimento nos dois extremos da cadeia reversa: na coleta seletiva e no mercado para o produto reciclado.

Palavras-chave

Logística reversa, embalagem PET, cadeia reversa, meio ambiente, reciclagem

Abstract

The work discuss the possibilities, limits and challenges of the recycling of PET packing in the Brazilian case. The authors analyze the nature and the function of the reverse logistics and its strategies for articulation of the recycling chain. The research is based in the exploratory methodological approach, with adoption of different strategies for the collection of data, involving secondary sources produced by public institutions, specialized organizations and media, and still, interviews semi-structured with specialists in the area. The results point that the Brazilian public and private sectors doesn’t get to organize this activity in the desirable environmental scale. Good performances in the PET packing reverse chain depends on investing in the selective collection and in the market for the recycled products.

Keywords

Reverse logistics, PET packing, reverse chain, environment, recycle

References



ABIPET. Associação Brasileira da Indústria de PET. Site corporativo. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2005 a.

_______. 1º. Censo da Reciclagem de PET no Brasil São Paulo: ABIPET, outubro 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2006 b.

_______. Diretrizes para o projeto de garrafas de PET. São Paulo: ABIPET, novembro de 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2006 c.

APME – Association of Plastic Manufacture in Europe. In: ABIPET. 1º Censo da Reciclagem de PET no Brasil São Paulo: ABIPET, outubro 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2006.

BERTHIER, H.C. Garbage, work and society. Resources, Conservation and Recycling, n. 39, p. 193-210, 2003.

BRASIL. ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico - Disposições Gerais para Embalagens e Equipamentos Plásticos em Contato com Alimentos. Resolução n. 105, de 19 de maio de 1999. In: Diário Oficial da União, 20 de maio (1999).

BRASIL. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB– 2000. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Rio de Janeiro, 2002, 397 p.

BRASIL. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Relatório Preliminar: minuta final. Ministério do Meio Ambiente: Brasília, versão II, 2002. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2005.

BRUYNE, P.; HERMAN, J.; SCHOUTHEETE, M. Dinâmica da Pesquisa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1991.

CARMO, M. S. F., OLIVEIRA, J. A. P., MIGUELES, C. P. A semântica do lixo, o estímulo à reciclagem e o trabalho dos catadores do Rio de Janeiro: um estudo entre significado e ação econômica. ENGEMA – Encontro Nacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente. In: Anais ... São Paulo: EAESP/FGV, FEA/USP, 2003.

CEMPRE – Compromisso Empresarial para a Reciclagem. Reciclagem de PET no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2004 a.

___________. O sucateiro e a coleta seletiva. Reciclagem & Negócios – Mercado de Sucatas, CEMPRE, São Paulo, 2005 b

CEMPRE/ABIPET – Enfardamento e revalorização de sucatas de PET. Reciclagem & Negócios, PET. São Paulo, 1997.

COTTRILL, K. Return to sender. Traffic World. v. 262, n. 7, p. 17-18, 2000.

CZAPSKI, S. Pet reciclado ainda é alvo de rejeição: indústria teme reação do público a fibras reaproveitadas. Valor Econômico: Valor online, Empresa & Comunidade , ano 4, n. 911 , quarta-feira, 17 dezembro 2003.

_______. Catadores vão gerenciar indústria de reciclagem. Valor Econômico: Valor online, 25, abril 2005.

DAUGHERTY, P. J.; AUTRY, C.W.; ELLINGER A. E. Reverse logistics: the relationship between resource commitment and program performance. Journal of Business Logistics, v. 22, n. 1, p. 107-123, 2001.

DE BRITO, M. P.; DEKKER, R. Reverse logistics: a framework. Econometric Institute. Report EI 2002-38, Erasmus University Rotterdam, The Netherlands, 2002.

__________. Managing reverse logistics or reversing logistcs management? Econometric Institute. Rotterdam, Erasmus Univesity Rotterdam, 2004.

DEMAJOROVIC, J. Da política tradicional de tratamento do lixo à política de gestão de resíduos sólidos. Revista de Administração de Empresas. São Paulo: EAESP, FGV, v. 35, n. 3, p. 88-93, mai./jun. 1995.

DOWLATSHAHI, S. Developing a theory of reverse logistics. Interfaces, v. 30, n. 3, p. 143-155, 2000.

EUROPEAN COMMUNITIES COUNCIL. Diretiva 94/62/EC:on Packaging and Packaging Waste. Official Journal of the European Communities, n. L349, p. 26 Brussels (1994).

FORLIN, F. J.; FARIA, J. Considerações sobre a reciclagem de embalagens plásticas. Polímeros: Ciência e Tecnologia, v. 12, n. 1, p. 1-10, 2002.

FULLER, D. A. Recycling consumer solid waste: a commentary on selected channel alternatives. Journal of Business Research, v. 6, n. 1, p. 41-43, January, 1978.

GEYER, R. JACKSON, T. Supply loops and their constraints: the industrial ecology of recycling and reuse. California Management Review, v. 46, n. 2, Winter, 2004.

GEYER, R. JACKSON, P. Coleta Seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. Polis: estudos, formação e assessoria em políticas sociais, n. 31, 1998.

GRUPO PÃO DE AÇÚCAR. Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2006.

GUILTINAN, J. P; NWOKOYE, N. Reverse channels for recycling: an analysis of alternatives and public policy implications. American Marketing Association Proceedings, n. 36, p. 341-346, Spring and Fall, 1974.

HU, T. L.; SHEU, J. B., HAUNG, K. H. A reverse logistics cost minimization model for the treatment of harzardous wastes. Transportation Research Part E, v. 38, p. 457-473, 2002.

JACOBI, P. Apresentação. In: JACOBI. P. (org.) Gestão compartilhada dos resíduos sólidos no Brasil: inovação com inclusão social. São Paulo: Annablume, 2006.

KOPICKI, R.; BERG, M.; LEGG, L. L. Reuse and recycling: reverse logistics opportunities. Illinois: Oak Brook, Council of Logistics Management, 1993

KRIKKE, H. R. et al. Concurrent Product and Closed-Loop Supply Chain Design with an Application to Refrigerators. International Journal of Production Research 41(16), p. 3689-3719, 2003.

LEITE, P. R.; BRITO, E. B. P.; MACAU, F. R.; POVOA, A. C. Determinantes da estruturação dos canais reversos: O papel dos ganhos econômicos e de imagem corporativa. ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29. In: Anais... ANPAD, Brasília, 2005.

MANO, E. B.; BONELLI, C. M. C. A Reciclagem de plásticos pós-consumidos. Rev. Química. Industrial., Rio de Janeiro, n. 698, p. 18-22, 1994.

MEYER, H. Many happy returns. Journal of Business Strategy. v. 20, n. 4, p. 27-31, 1999.

MURPHY, P. R.; POIST, R. F. Green Logistics Strategies: an analysis of usage patterns. Transportation Journal,winter, p. 5-16, 2000

NAPCOR – National Association for PET Container Resources. A PET bottle recycling status report- 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2006

Plastivida. Reciclagem. Disponível em: . Acesso em: 06 set. 2005.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. LIMPURB – Departamento de Limpeza Urbana. Caracterização do Resíduos Sólidos Domiciliares do Município de São Paulo. São Paulo: Secretaria de Serviços e Obras, 2004.

ROGERS, D. S.; Tibben-Lembke, R. S. Going backwards: reverse logistics trends and practices. University of Nevada, Reno, 1999.

SANTOS, A. S. F.; AGNELLI, J. M., MANRICH, S. Tendências e desafios da reciclagem de embalagens plásticas.Polímeros – Ciência e Tecnologia, v. 4, n. 5, p. 307-312, 2004.

SPINACÉ, M. A. S; PAOLI, M. A Tecnologia da Reciclagem de Polímeros. Química Nova, v. 28, n. 1, p. 65-72, 2005.

STOCK, J. R. Reverse Logistics. Illinois: Oak Brook, Council of Logistics Management, 1992.

TOMRA. Reciclagem: garrafas de plástico (PET). Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2004.

ZANIN, M.; MANCINI, S. D. Resíduos Plásticos e reciclagem: aspectos gerais e tecnologia. São Carlos: Edusfcar, 2004.

ZIKMUND, WILLIAN G.; STANTON, W. T. Recycling solid wastes: a channel of distribution problem. Journal of Marketing, v. 35, n. 3, july, 1971, p. 34-39.



5883a3f67f8c9da00c8b4702 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections