Production
https://prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65132012005000002
Production
Article

Avaliação da qualidade demandada e diretrizes de melhoria no processo de interação Universidade-Empresa

Assessment of quality demand and guidelines for improving the University-Industry interaction process

Matei, Ana Paula; Echeveste, Márcia Elisa; Caten, Carla Schwengber ten; Zouaim, Ricardo Norberto A.

Downloads: 0
Views: 501

Resumo

O artigo apresenta o processo de interação Universidade-Empresa no âmbito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sob a responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico (SEDETEC). O objetivo é identificar as demandas de qualidade no processo de interação UFRGS-Empresas parceiras e propor melhorias para este processo. As demandas são identificadas com base em uma pesquisa de mercado, sendo desdobradas em características de qualidade e procedimentos para atendimento, por meio do Quality Function Deployment (QFD). Posteriormente, são propostas sugestões de melhorias para a SEDETEC. Os principais resultados são: a identificação e a priorização da qualidade demandada pelo setor empresarial; a avaliação dos requisitos e dos procedimentos que atendem a estas demandas e a proposição de diretrizes para melhorias no serviço da SEDETEC, destacandose: ampliação e dinamização das formas de comunicação; criação de um sistema de indicadores de desempenho; e análise de mercado para as tecnologias desenvolvidas.

Palavras-chave

Interação Universidade-Empresa. Escritório de transferência de tecnologia. QFD.

Abstract

This paper presents the university-industry interaction process through which the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS) is under the responsibility of the Secretary for Technological Development (SEDETEC). The purpose this article was to identify quality demands of the interaction process between UFRGS and partner companies, as well as to propose improvements to this process. Demands were identified through market research and then analyzed by means of the Quality Function Deployment (QFD), which provides insights for quality improvements. We then propose improvement actions to SEDETEC. Main results identify the quality demanded by the corporative segment, evaluate requirements and actions to achieve such quality demands, and propose improvement guidelines to the services provided by SEDETEC. Such improvements include a more dynamic communication system, a new set of indices for performance measurement, and procedures for analyzing market reaction due to the developed technologies.

Keywords

University-Industry Interaction. Technological Transfer Office. QFD.

References



AKAO, Y. Manual de Aplicação do Desdobramento da Função Qualidade - QFD. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni, 1996. v. 1: Introdução ao Desdobramento da Qualidade.

AKAO, Y. Quality function deployment: integrating customer requirements into product design. Portland: Productivity Press, 1990. 369 p.

ALBUQUERQUE, E. M.; SILVA, L. A.; PÓVOA, L. Diferenciação intersetorial na Interação entre empresas e Universidades no Brasil. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 1, p. 95-104, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 88392005000100008

AMERICAN SUPPLIER INSTITUTE - ASI. Quality Function Deployment: implementation manual: 3-day workshop. Dearborn, ASI, 1993.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ENTIDADES PROMOTORAS DE EMPREENDIMENTOS INOVADORES - ANPROTEC; SEBRAE. Glossário dinâmico de termos na área de Tecnópolis, Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. Brasília: ANPROTEC, 2002.

AYUP-ZOUAIN, R. N. Modelo de relacionamento Petrobrás com as instituições de P&D: redes temáticas e núcleos regionais. Porto Alegre, 2008. Slides.

BOUCHEREAU, V.; ROWLANDS, H. Methods and techniques to help quality function deployment (QFD). Benchmarking: An International Journal, v. 7, n. 1, p. 8-19, 2000.

BRASIL. Decreto nº 2.553, de 11 de outubro 2005. Regulamenta a Lei no 10.973, de 2 de dezembro de 2004, que dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 out. 2005. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2008.

BRASIL. Lei de Inovação Tecnológica nº 10.973, de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 03 dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2008.

BRATZ, M.; CATEN, C. S.; DANILEVICZ, A. M. F. Aplicação do QFD em serviços de consultas eletivas da Santa Casa de Porto Alegre. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - ENEGEP-, 21., 2001, Salvador. Anais... . Salvador: ABEPRO, 2001. v. 1, p. 1 - 8.

CARNEVALLI, J. A.; CAUCHICK MIGUEL, P. A. Revisão, análise e classificação da literatura sobre o QFD - tipos de pesquisa, dificuldades de uso e benefícios do método. Gestão e Produção, v. 14, n. 3, p. 557-579, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-530X2007000300011

CARVALHO, M. M. QFD - Uma Ferramenta de Tomada de Decisão em Projeto. 1997. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção)- Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.

CAUCHICK MIGUEL, P. A. QFD no desenvolvimento de novos produtos: um estudo sobre a sua introdução em uma empresa adotando a pesquisa-ação como abordagem metodológica. Produção, v. 19, n. 1, p. 105-128, 2009.

CHENG, L. C.; MELO FILHO, L. D. R. QFD - Desdobramento da função qualidade na gestão de desenvolvimento de produtos. São Paulo: Editora Blücher, 2007.

CHENG, L. C.; SARANTÓPOULOS, I. A. QFD in Brazil: A Successful Diffusion Process into Organizations. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT - ISQFD, 1995, Tokyo. Proceedings... Tokyo: JUSE, 1995. p. 77-84.

CLAUSING, D. Total quality development: a step by step guide to world class concorrent engineering. New York: ASME press, 1994).

CLAUSING, D.; PUGH, S. Enhanced Quality Function Deployment. In: DESIGN AND PRODUCTIVITY INTERNATIONAL CONFERENCE, 1991, Honolulu. Proceedings... Honolulu: DPIC, 1991. p. 15-25.

CRIPPS, D. et al. University research: technology transfer and commercialization practices. Canberra: Australian Research Council, 1999. Commissioned Report 60.

CYSNE, F. P. Transferência de Tecnologia entre a Universidade e a Indústria. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, n. 20, p. 54-74, 2005.

DAGNINO, R. A relação Universidade-Empresa no Brasil e o "argumento da hélice tripla". Revista Brasileira de Inovação. FINEP, v. 2, n. 2, p. 367-307, 2003.

DAUSCHA, R. M. Inovação tecnológica nas empresas: panorama e estratégias para o Brasil. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2008.

EDQUIST, C. Systems of innovation: technologies, institutions and organizations. Routledge, 1997.

FELDAM, M. et al. Equity and the Technology Transfer Strategies of American Research Universities. Management Science INFORMS v. 48, n. 1, p. 105-121, 2002.

FERREIRA, A. M.; RIBEIRO, J. L. D. O uso do QFD no gerenciamento de projetos: um estudo de caso no setor de serviços. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - ENEGEP, 15., 1995, São Carlos. Anais... . São Carlos: ABEPRO, 1995. v. 1, p. 507-512.

FREEMAN, C. The national system of innovation in historical perspective. Cambridge Journal of Economics. Cambridge, v. 19, n. 1, p. 5-24, 1995.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL - INPI. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2008.

KING, B. Better Designs in Half the Time: implementing QFD quality function deployment in AMÉRICA.3.ED. Methuen: GOAL/QPC, 1989.

MARCHIORI, M. P.; COLENCI JUNIOR., A. Transferência de Tecnologia Universidade-Empresa - A Busca por Mecanismos de Integração Efetiva. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - ENEGEP, 18.; CONGRESSO INTERNACIONAL DE ENGENHARIA INDUSTRIAL, 6., 1998, Niterói. Anais... ABEPRO, 1998. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2008.

MARCOVITCH, J. A cooperação da universidade moderna com o setor empresarial. Revista de Administração, v. 34, n. 4. p. 46-55., 1999.

MENDONÇA, G. A. A. O desdobramento da função qualidade - QFD na melhoria da gestão na educação profissional no CEFETGO. In: CONGRESSO VIRTUAL BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO, 4., 2007. Anais... 2008. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2008.

MORAES, C. A. C.; CAUCHICK MIGUEL, P. A. Uso do QFD na qualidade em serviços a partir dos dados de um programa de avaliação institucional: um estudo de caso em um curso de mestrado em engenharia de produção. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - ENEGEP, 25., 2005, Porto Alegre. Anais... São Paulo: ABEPRO, 2005. v. 1, p. 1803-1810.

MOWERY, D.; SAMPAT, B. Universities in national innovation systems. In: FARGERBERG, J.; MOWERY, D.; NELSON, R. (Eds.). The Oxford Handbook of Innovation. Oxford University Press, 2005. p. 209-239.

NIOSI, J. 1999. Fourth-Generation R&D: From Linear Models to Flexible Innovation. Journal of Business Research, v. 45, p. 111-117, 1999. http://dx.doi.org/10.1016/S0148-2963(97)00230-0

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - OCDE. Manual de Oslo: Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação. 3. ed. OCDE, Eurostat, FINEP, 1997.

PEIXOTO, M. O. C.; CARPINETTI, L. R. Aplicação de QFD integrando o modelo de Akao e o modelo QFD estendido. Gestão e Produção (UFSCar), v. 5, n. 3, p. 221-237, 1998. http://dx.doi.org/10.1590/S0104530X1998000300005

PERKMANN, M.; WALSH, K. University-industry relationships and open innovation: Towards a research agenda. International Journal of Management Reviews, v. 9, n. 4, p. 259-280, 2007. http://dx.doi.org/10.1111/j.1468-2370.2007.00225.x

PÓVOA, L. M. C. Patentes de universidades e institutos públicos de pesquisa e a transferência de tecnologia para empresas no Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Economia)-Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

RIBEIRO, J. L. D.; CUNHA, M. G. ; ECHEVESTE, M. E. Desdobramento da qualidade: um plano de melhorias para retenção de clientes em clubes sociais e esportivo. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - ENEGEP, 21., 2001a, Salvador. Anais... . São Paulo: ABEPRO, 2001. v. 1, p. 1-9.

RIBEIRO, J. L. D.; ECHEVESTE, M. E.; DANILEVICZ, A. M. QFD - Desdobramento da Função Qualidade. UFRGS, 2001b. (Série Monográfica).

SANTOS, L. A. C.; KOVALESKI, J. L.; PILATTI, L. A. Análise da Cooperação Universidade-Empresa como Instrumento para a Inovação Tecnológica. Revista Espacios. v. 29, n. 1, p. 12-29, 2008.

SEGATTO, A. P. Análise do Processo de Cooperação Tecnológica Universidade - Empresa: Um Estudo Exploratório. 1996. Dissertação (Mestrado em Administração)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

SEGATTO-MENDES, A. P. Teoria de Agência à Análise de Relações entre os Participantes dos Processos de Cooperação Tecnológica Universidade-Empresa. 2001. Tese (Doutorado em Administração)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

SHANE, S. A. Academic entrepreneurship: University Spinoffs and Wealth Creation. Edward Elgar Publishing, 2004.

STAL, E. Cooperação Institucional Universidade-Empresa. Porto Alegre: Sebrae/RS, 1998.

SUZIGAN, W.; ALBUQUERQUE, E. M. A interação entre universidades e empresas em perspectiva histórica no Brasil. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2008.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS. Conselho Universitário - ConsUn. Decisão n° 193/2011, de 08 de abril de 2011a. Disponível em: < http://www.ufrgs.br/consun/leis/Dec193_2011%2820110503%29.pdf >. Acesso em: 10 abr. 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS. Gabinete do Reitor. Portaria nº 2679/2011, de 27 de maio de 2011b. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS. Gabinete do Reitor. Portaria nº 3064/1998, de 05 de novembro de 1998. Disponível em: < http://www.sedetec.ufrgs.br/pagina/eitt/download/portarias/portaria_n_3064.pdf >. Acesso em: 04 abr. 2008.

VASCONCELOS, M. C. R. L.; FERREIRA, M. A. T. A contribuição da cooperação universidade/empresa para o conhecimento tecnológico da indústria. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 5, n. 2, p. 167-182, 2000.

VEDOVELLO, C. Science parks and university-industry interaction: geographical proximity between the agents as a driving force. Technovation, v.17, n. 9, p. 491-502, 1997. http://dx.doi.org/10.1016/S0166-4972(97)00027-8

5883a3b87f8c9da00c8b45f4 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections