Production
https://prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65132011005000039
Production
Article

Análise dos direcionadores de competitividade sobre a cadeia produtiva de biodiesel: o caso da mamona

Analysis of the competitiveness drivers on the biodiesel productive chain: the case of castor bean

César, Aldara da Silva; Batalha, Mario Otávio

Downloads: 1
Views: 134

Resumo

Entre as várias oleaginosas, a mamona foi identificada pelo Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) como a oleaginosa ideal para promover desenvolvimento social no nordeste brasileiro. Contudo, a pesquisa revela que a produção dessa matéria-prima não é competitiva para a produção de biodiesel. A pesquisa retratada neste artigo é qualitativa, descritiva e exploratória, tendo utilizado estudo de caso para sua análise. O instrumento usado para a coleta de dados foi o questionário semiestruturado com entrevista presencial. Visitas às unidades produtivas também foram feitas, o que permitiu a triangulação dos dados. Dessa forma, este trabalho descreve cada direcionador de competitividade e apresenta uma fotografia da competitividade da produção agrícola e produção industrial da cadeia abordada. A influência de cada direcionador foi avaliada utilizando uma escala Likert. Essa avaliação resultou numa perspectiva da competitividade dos segmentos dessa cadeia agroindustrial.

Palavras-chave

Biodiesel. Mamona. Competitividade. Agricultura familiar.

Abstract

Among the various oilseeds, the castor bean was identified by the National Program for Production and Use of Biodiesel, as the ideal one to promote social development in Brazil’s northeast region. However the survey shows that the production of this raw material was not competitive for biodiesel production. The research is qualitative, descriptive and exploratory, and multi-case studies were used for their analysis. The instrument used for data collection was a semi-structured personal interview. Visits to production units were also conducted, which enabled data triangulation. Thus, this paper describes each driver and presents a picture of the competitiveness of both agricultural and industrial productions in this chain. The influence of each driver was evaluated using a Likert scale. The results present a clear view of the competitive segments in the analyzed agribusiness chain.

Keywords

Biodiesel. Castor. Competitiveness. Family farming.

References



AIGINGER, K. Revisiting an evasive concept: introduction to the special issue on competitiveness. Journal of Industry, Competition and Trade, v. 6, n. 2, p. 63-66, 2006. http:// dx.doi.org/10.1007/s10842-006-9471-x

BATALHA, M. O., SOUZA FILHO, H. M. Analisando a Competitividade de Cadeias Agroindustriais: uma proposição metodológica. In: BATALHA, M. O.; SOUZA FILHO, H. M. (Orgs.). Agronegócio no MERCOSUL: uma agenda para o desenvolvimento. São Paulo: Atlas, 2009, p. 1-22.

BATALHA, M. O.; SILVA, A. L. Gerenciamento de sistemas agroindustriais: definições, especificidades e correntes metodológicas. In: BATALHA, M. O. (Org.). Gestão agroindustrial. São Paulo: Atlas, 2007. p. 1-62.

BELTRÃO, N. E. M. Informações gerais sobre a cadeia da mamona no Nordeste e o estabelecimento de uma proposta de um projeto de desenvolvimento integrado com ênfase a produção de biodiesel. Campina Grande: Embrapa, 2003. Documento, 122. Disponível em: . Acesso em: jan. 2008.

BELTRÃO, N. E. M. et al. Clima e solo. In: AZEVEDO, D. M. P.; BELTRÃO, N. E. M. O agronegócio da mamona no Brasil. 2. ed. Brasília: Embrapa, 2007. p. 73-93. Informações Tecnológicas.

BUAINAIN A. M. et al. Tecnologia de gestão e agricultura familiar. In: BUAINAIN, A. M. (Coord.). Agricultura familiar e inovação tecnológica no Brasil: características, desafios e obstáculos. Campinas: Editora da Unicamp, 2007. p. 129-159

BRASIL. Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005. Dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 14 jan. 2005a. Disponível em: Acesso em: dez. 2006.

BRASIL. Instrução Normativa nº 1, de 05 de julho de 2005. Dispõe sobre os critérios e procedimentos relativos à concessão de uso do selo combustível social. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 7 jul. 2005b. Disponível em: . Acesso em:

jan. 2009.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Instrução Normativa nº 1, de 19 de fevereiro de 2009. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 fev. 2009a.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio. Secretaria de Comércio Exterior - MDIC. Aliceweb. MDIC, 2009b. Disponível em: . Acesso em: jan. 2009.

BRASIL. Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica. Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República - NAE. Biocombustíveis. Brasília: NAE, 2004. 234 p. Cadernos NAE, n. 2. Disponível em: . Acesso em: fev. 2008.

CÉSAR, A. S. Análise dos direcionadores de competitividade da cadeia produtiva de biodiesel: o caso da mamona. 2009. 171 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)-Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.

CÉSAR, A. S., BATALHA, M. O. Biodiesel production from castor oil in Brazil: A difficult reality. Energy Policy, v. 38, p. 4031-4039, 2010. http://dx.doi.org/10.1016/j.enpol.2010.03.027

CHARLES, M. B et al. Public policy and biofuel: The way foward? Energy Policy, v. 35, p. 5737-5746, 2007.

DEMIRBAS, A. Importance of biodiesel as transportation fuel. Energy Policy, v. 35, p. 4661-4670, 2007. http://dx.doi.org/10.1016/j.

DUER, H., CHRISTENSEN P. O. Socio-economic aspects of different biofuel development Pathways. Biomassa and Bioenergy, v. 34, n. 2, p. 1-7, 2009.

FARINA, E. M. M. Q. Competitividade e coordenação de sistemas agroindustriais: um ensaio conceitual. Revista Gestão e Produção, v. 6, n. 3, p. 147-161, 1999.

FERRAZ, J. C. et al. Made in Brazil. Rio de Janeiro: Campus, 1996. 386 p.

FISCHER, C.; SCHORNBERG, S. Assessing the Competitiveness Situation of EU Food and Drink Manufacturing Industries: An Index-Based Approach. Agribusiness, v. 23, n. 4, p. 473-495, 2007. http://dx.doi.org/10.1002/agr.20139

GARCEZ, C. A. G.; VIANNA, J. N. S. Brazilian Biodiesel Policy: Social and environmental considerations of sustainability. Energy, v. 34, p. 645-654, 2009.

HASS, M. J.; FOGLIA, T. A. Matérias-primas alternativas e tecnologias para a produção de biodiesel. In: KNOTHE, G. et al. (Eds.) Manual do biodiesel. São Paulo: Edgard Blücher, 2006. p. 46-66.

JANK, M. S. Competitividade do agribusiness brasileiro: discussão teórica e evidências no sistema de carnes. 195 f. 1996. Tese (Doutorado em Administração)-Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

JUNG, C. F. Metodologia científica – ênfase na pesquisa tecnológica, 2003. Disponível em: . Acesso em: ago. 2007.

KNOTHE, G. A história dos combustíveis derivados de óleos vegetais. In: KNOTHE, G. et al. Manual do biodiesel. São Paulo: Edgard Blücher, 2006. p. 5-18.

LANDAU, R. Technology, capital formation and U.S. competitiveness. In: HICKMAN, B. G. (Ed.). International Productivity and Competitiveness. New York: Oxford University Press, 1992.

LENSINK, S; LONDO, M. Assessment of biofuels supporting policies using the BioTrans model. Biomassa and Bioenergy, v. 34, n. 2, p. 218-226, 2009. http://dx.doi.org/10.1016/j. biombioe.2009.07.006

MARTIN, L. et al. Agribusiness competitiveness across national boundaries. American Journal of Agricultural Economics, v. 3, n. 5, p. 1456-1464, 1991. http://dx.doi.org/10.2307/1242402

MERRIAM, S. Qualitative research and case study applications. Education. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1998.

PETERS, J., THIELMANN, S. Promoting biofuels: Implications for developing countries. Energy Policy, v. 36, p. 1538-1544, 2008. http://dx.doi.org/10.1016/j.enpol.2008.01.013

PINHEIRO, A. C.; MOREIRA, A. R. B.; HORTA, M. E. Indicadores de competitividade das exportações: resultados setoriais para o período 1980/88. Rio de Janeiro: IPEA, 1992. Textos para Discussão, 257.

POUSA, G. P. A. G. et al. History and policy of biodiesel in Brazil. Energy Policy, v. 35, p. 5393-5398, 2007. http://dx.doi. org/10.1016/j.enpol.2007.05.010

SAVY FILHO, A. Mamona: tecnologia agrícola. Campinas: Emopi, 2005. 105 p.

SCHOLZ, V.; SILVA, J. N. Prospects and risks of the use of castor oil as a fuel. Biomass and Bioenergy, v. 32, p. 95-100, 2008. http://dx.doi.org/10.1016/j.biombioe.2007.08.004

SELLTIZ, W. S. et al. Pesquisa nas relações sociais. 10. ed. São Paulo: EdUSP, 1980.

SILVA, C. A. B.; BATALHA, M. O. Competitividade em sistemas agroindustriais: metodologia e estudo de caso. In: WORKSHOP BRASILEIRO DE GESTÃO DE SISTEMAS ALIMENTARES, 2., 1999, Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto: PENSA/FEA/USP, 1999. p. 9- 19.

SILVA, C. A. B.; SOUZA FILHO, H. M. Guidelines for rapid appraisals of agrifood chain performance in developing countries. Rome: FAO, 2007. 111 p.

STAATZ, J. M. Notes on the use of subsector analysis as a diagnostic tool for linking industry and agriculture. Michigan: Michigan State University, Department of Agricultural Economics, 1997. p. 1-9.

VAN DUREN, E. et al. Assessing the competitiveness of Canada's agrifood industry. Canadian Journal of Agricultural Economics, v. 39, p. 727-738, 1991.

VAN DUREN, E.; MCKAY, H. Forging strategic alliances in Canada's agrifood sector. Canadian Journal of Agricultural Economics, v. 42, p. 311-326, 1994.

WASSELL Jr., C. S., DITTMER, T. P. Are subsidies for biodiesel economically efficient? Energy Policy, v. 34, p. 3993-4001, 2006. http://dx.doi.org/10.1016/j.enpol.2005.09.024

5883a3c07f8c9da00c8b4617 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections