Production
https://prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65132010005000011
Production
Article

A abordagem sistêmica na pesquisa em Engenharia de Produção

The systems approach to the Production Engineering research

Iarozinski Neto, Alfredo; Leite, Maria Silene

Downloads: 1
Views: 602

Resumo

A Engenharia de Produção está afeta a problemas que se caracterizam pela complexidade. Para serem resolvidos, esses problemas demandam conhecimentos que vão além da matemática e da física, como ocorre nas engenharias mais clássicas. Eles necessitam de uma abordagem que permita o acesso ao conhecimento de várias disciplinas simultaneamente, ou seja, uma abordagem interdisciplinar. Para praticar a interdisciplinaridade e sistematizar o processo de pesquisa na Engenharia de Produção é apresentada a abordagem sistêmica. Ela é capaz de levar em conta o conjunto das variáveis que caracterizam os problemas considerados complexos. A base metodológica escolhida para implementar a abordagem sistêmica é a sistemografia, que permite ampliar o horizonte de pesquisa para aproximar a realidade do fenômeno observado. Finalmente, será mostrada como a abordagem sistêmica permite que o pesquisador trabalhe em um nível maior de subjetividade sem perder a tão necessária "objetividade" científica.

Palavras-chave

Pesquisa em Engenharia de Produção. Teoria Geral de Sistemas. Abordagem sistêmica. Metodologia de pesquisa.

Abstract

Production Engineering is beset by problems that may be characterized by their complexity. To solve these problems demands knowledge that goes beyond mathematics and physics, since they occur within the classical areas of engineering. It requires an approach that allows access to knowledge of several disciplines simultaneously, that is, an interdisciplinary approach. To perform the interdisciplinarity and to systemize the research process in Production Engineering, a systemic approach is imparted. This is capable of taking into account the set of variables that characterize the perceived problems as complex. The methodological base chosen to implement the systemic approach is sistemography. This allows the research scope draw closer to the reality of the observed phenomenon. Finally, it will be demonstrated how the systemic approach allows the researcher to work at a higher level of subjectivity without losing the indispensable scientific "objectivity".

Keywords

Research in Production Engineering. General Systems Theory. Systemic approach. Research methodology.

References



BAZZO, W. A.; COLOMBO, C. R. Educação tecnológica contextualizada: ferramenta essencial para o desenvolvimento social brasileiro. Revista de Ensino de Engenharia, v. 20, n. 1, p. 9-16, 2001.

BERTALANFFY, L. Teoria geral dos sistemas. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1975.

BERTO, R. M. V. S.; NAKANO, D. N. A produção científica nos anais do encontro nacional de engenharia de produção: um levantamento dos métodos e tipos de pesquisa. Produção, v. 9, n. 2, p. 65-75, 2000.

BOULDING, K. E. General systems theory: the skeleton of science. Management science, v. 2, n. 3, p. 197-208, 1956.

BOULDING, K. E. The world as a total system. London: SAGE, 1985.

BRUCE, A. et al. Interdisciplinary integration in Europe: the case of the fifth framework programme. Futures, v. 36, p. 457-470, 2004.

BRUTER, C. P. Topologie et perception: les bases philosophiques et mathématiques. Paris: Maloine and Doin, 1976.

CAPRA, F. A teia da vida. São Paulo: Cultrix, 1996.

CARAYANNIS, E.; COLEMAN, J. Creative system design methodologies: the case of complex technical systems. Technovation, v. 25, n. 8, p. 831- 840, 2005.

CARVALHO, J. A.; RAMOS E.; GONÇALVES, R. Sistema: modelo conceptual de um objecto. 2002. Disponível em: . Acesso em: Abril.

DONNADIEU, G. et al. L' approche systémique: de quoi s'agitil?. 2005. Disponível em: . Acesso em: Janeiro 2008.

ENGELMANN, A. A psicologia da gestalt e a ciência empírica contemporânea. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 18, n. 1, p. 1-16, 2002.

FRANCELIN, M. M. Configuração epistemológica da ciência da informação no Brasil em uma perspectiva pós-moderna: análise de periódicos da área. Ciência da Informação, v. 33, n. 2, p. 49-66, 2004.

JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

KÖHLER, W. Psicologia da gestalt. Belo Horizonte: Itatiaia, 1968.

Landry, M.; Banville, C. Caractéristiques et balises d'évaluation de la recherche systémique. Revue Tunisienne des Sciences de Gestion, v. 2, n. 1, p. 76-112, 2000.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 1999.

LE-MOIGNE, J. L. La théorie du système général, théorie de la modélisation. Paris: PUP, 1977.

______. La modélisation des systèmes complexes. Paris: Dunod, 1990.

______. Le constructivisme - Tome 1: des fondements. Paris: ESF éditeur, 1994.

LI, J. et al. Multi-scale methodology for complex systems. Chemical Engineering Science, v. 59, n. 8-9, p. 1687-1700, 2004.

MARTINO, F.; SPOTO, A. Social network analysis: a brief theoretical review and further perspectives in the study of information technology. PsychNology Journal, v. 4, n. 1, p. 53-86, 2006.

MASSA, H. Fondements de la pratique de l'approche systémique en travail social: l'approche systémique. Les Cahiers de l'ACTIF, n. 308-309, p. 9-28, 2002.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001.

MELESE, J. Approches systémiques des organisations: vers l'entreprise à complexité humaine. Paris: Les editions d'organisations, 1990.

MIGUEL, P. A. C. Estudo de caso na engenharia de produção: estruturação e recomendações para sua condução. Produção, v. 17, n. 1, p. 216-229, 2007.

MORIN, E. O método: a natureza da natureza. Portugal: Europa-América, 1981.

______. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002.

NEVES, C. E. B.; NEVES, F. M. O que há de complexo no mundo complexo?. Niklas Luhmann e a teoria dos sistemas sociais. Sociologias, v. 2, n. 15, p. 182-207, 2006.

NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. 3 ed. São Paulo: Triom, 2005.

OLIVEIRA E. R. A. A filosofia da ciência e a sua extensão à engenharia. Millenium: revista do Instituto Superior Técnico, n. 24, 2001.

POMBO, O. Práticas interdisciplinares. Sociologias, n. 15, p. 208-249, 2006.

ROSNAY, J. Le macroscope: vers une vision globale. Paris: Du Seuil, 1975.

RUSSEL, A. W.; WICKSON, F.; CAREW, A. L. Transdisciplinarity: context, contradictions and capacity. Journal of Futures, v. 40, n. 5, p. 460-472, 2007.

SANFORD, C. A theory and practice system of "systems thinking": with an executive's story of the power of "developmental" and "evolutionary" systems thinking. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON SYSTEMS THINKING IN MANAGEMENT - ICSTM, 3, 2004. Proceedings. ..

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências na transição para uma ciência pós-moderna. Estudos avançados, v. 2, n. 2, p. 58, 1988.

SANTOS, F. C. A. Potencialidades de mudanças na graduação em engenharia de produção geradas pelas diretrizes curriculares. Produção, v. 13, n. 1, p. 26-39, 2003.

SHANNON, C. E. A mathematical theory of communication. The Bell System Technical Journal, v. 27, p. 379-423, 1948.

SILVA, D. J. O Paradigma transdisciplinar: uma perspectiva metodológica para a pesquisa ambiental. In: PHILIPPI, A. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus, 2000.

SIMON, H. As ciências do artificial. Coimbra: Sucessor, 1969.

UEXKÜLL, T. V. A teoria da umwelt de Jakob Von Uexküll. Galáxia: revista transdiciplinar de comunicação, semiótica e cultura, n. 7, p. 19-48, 2004.

VIDEIRA, A. P. Transdisciplinaridade, interdisciplinaridade e disciplinaridade na história da ciência. Revista Scientiae Studia, v. 2, n. 2, p. 279-293, 2004.

VIEIRA, J. A. Ciência e filosofia: ciência, gnosiologia e ontologia. Revista Filosofia, v. 14, n. 14, p. 55-61, 2002.

VILLEGAS, O. R. T. Emergent tendencies in multi-agent-based simulations using constraint-based methods to effects practical proofs over finite subsets of simulation outcomes. Manchester, 2001. Tese (Doutorado em Modelagem Computacional) - Manchester Metropolitan University - MMU.

WEAVER, W. Science and complexity. American Scientist, n. 36, p. 536-544, 1948.

ZANDI, I. Science and engineering in the age of systems. Pennsylvania: University of Pennsylvania, 1986.

5883a3d37f8c9da00c8b466b 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections