Production
https://prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65132008000300012
Production
Article

Gestão do conhecimento em indústria de alta tecnologia

Knowledge management in a high technology industry

Santos, Isabel Cristina dos; Amato Neto, João

Downloads: 0
Views: 324

Resumo

O objetivo deste trabalho é descrever o processo de Gestão do Conhecimento na indústria aeronáutica nacional. O problema central investigado refere-se a como uma indústria de alta tecnologia, que produz sob encomenda, com um longo leadtime, gera conhecimento, dado o rápido deslocamento das fronteiras tecnológicas. A metodologia foi pautada em pesquisa documental, na aplicação de questionários, para um grupo, e entrevistas não-estruturadas, para outro grupo, escolhidos por amostra não–probabilística. Para a análise, utilizou-se um estudo de caso. Observou-se que as inovações estão limitadas aos conteúdos conhecidos das ciências e suas aplicações, e são fortemente orientadas à melhoria contínua. A indústria é o principal agente das mudanças do setor, apoiada pelo comprometimento da organização humana que promove a adaptação da empresa aos novos requisitos e tendências do ambiente tecnológico e competitivo. Para tanto, a indústria prioriza o desenvolvimento das competências técnicas, mercadológicas e empresariais, por meio da capacitação contínua.

Palavras-chave

Gestão do conhecimento, ambiente tecnológico, ambiente de negócios, organização humana.

Abstract

This paper aims to contribute to Knowledge Management debate for High Technology Industry, in Brazil. The investigated problem refers to "how can an industry, that manufactures under the customers orders, in a long-term commitment and lead time, generate the state of art knowledge, considering the accelerated moves of the technology boundaries? The methodology techniques were primarily defined in terms of a qualitative approach, based on a historic documentation analysis regarding a single case study. Data collecting was supported by questionnaires, filled by a technical group, and also some non-structured interviews made to another group. At the end of the investigative process some conclusions have been pointed out such as: innovative aspects of Hi-Tech are limited by the available knowledge in sciences related and also its appliances; Hi-tech enterprises generates themselves innovation through R&D, aiming to fulfill the lack of a governmental investments program. To implement adaptations required by the new technological and competitive order, a cluster of human competencies are demanded. So, they can be developed through educational process which includes people and leadership development.

Keywords

Knowledge management, technological environment, business environment, human organization.

References



AIAB – Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil. Tecnologia aeroespacial e o poder de uma nação. Apresentação oficial da AIAB. Abril, 2002.

ALBRECHT, K. Um modelo de inteligência organizacional. HSM Management. Barueri – SP, v. 3, n. 44, p. 30-34, 2004.

AMATO NETO, J. Redes de cooperação produtiva e clusters regionais. São Paulo: Atlas, Fundação Vanzolini, 2000.

AMATO NETO, J. (Org.). Redes entre organizações: domínio do conhecimento e da eficácia operacional. São Paulo: Atlas, 2005.

ANGELONI, M. T. Organizações do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2002.

BENNIS, W. G. Organizações em mudança. São Paulo: Atlas, 1976.

CHAI, K-H. Knowledge sharing and reuse international manufacturing networks. Institute for Manufacturing Engineering, University of Cambridge. Sep. 2000.

D'AVENI, R. D. A hipercompetição se aproxima. São Paulo: Makron Books, 2001.

DAVENPORT, T. O. Capital humano. São Paulo: Nobel, 2001.

DAY, G. A empresa orientada para o mercado. Porto Alegre: Bookman, 2001.

FIGUEIREDO, Paulo N. Aprendizagem Tecnológica e Inovação Industrial em Economias Emergentes: uma breve contribuição para o desenho e implementação de estudos empíricos e estratégias no Brasil. Revista Brasileira de Inovação. v. 3., n. 2., 2004.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Estratégias empresariais e formação de competências. São Paulo: Atlas, 2000.

GRANGER, G-G. Por um conhecimento filosófico. Campinas: Papirus, 1989.

HAMEL, G; PRAHALAD, C. K. Competindo pelo futuro. Rio de Janeiro: Campus, 1995.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1996.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

KANTER, R. M. Quando os gigantes aprendem a dançar. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

MATTOS, J. R. L.; GUIMARÃES, L. S. Gestão da tecnologia e inovação: uma abordagem prática. São Paulo: Saraiva, 2005.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração. São Paulo: Atlas, 2002.

MERTINS, K, HEISIG, P., VORBECK, J. Knowledge Management: concepts and best practices. 2a ed. Berlin. Spring-Verlag, 2003.

MORAIS, J. F. R. Ciência e perspectivas antropológicas de hoje. In: CARVALHO, M. C. M. C. (Org.). Construindo o saber. 13. ed. Campinas: Papirus, p. 87-96, 1989.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PORTER, M. Vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

PRAHALAD, C. K. Reexame de Competências. HSM Management, n. 8, ano 2, mai-jul. 1998.

PRIGOGINE, I. O fim das certezas. São Paulo: UNESP, 1996.

SANTOS, I. C. Um modelo estruturado de gestão do conhecimento em indústrias de base tecnológica: um estudo de caso de uma empresa do setor aeronáutico. Tese de doutorado. São Paulo: Escola Politécnica da USP, 2004.

SBRAGIA, R. (Coord.); STAL, E.; CAMPANÁRIO, M. A.; ANDREASSI, T. Inovação: como vencer esse desafio empresarial. São Paulo: Clio Editora, 2006.

SCHEIN, E. Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass Inc., 1992.

SENGE, P. A quinta disciplina. São Paulo: Best Seller, 1990.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Managing innovation: integrating, market and organization change. 3rd ed. West Sussex: John Wiley & Sons Ltd. 2005.

5883a3e27f8c9da00c8b46ad 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections